Férias – Prólogo

Estar de férias não é simplesmente falar: oba, estou de férias.
É também um estado de espírito. Para alguns, é a oportunidade de cuidar de coisas da casa que não podem ser feitas no período normal enquanto trabalham (lá em casa é assim). Porém, isso não é desgastante não. Vejo que minha irmãzinha e meu primo estão bem mais ‘descansados’, embora trabalhando muito para arrumar armários, limpar a garagem entre outras coisas que precisam ser feitas.
O fato de não ter que acordar cedo para sair para trabalhar afeta muito. Mesmo que você tenha que acordar cedo, NÃO É para trabalhar. E algo que eu tenho GOSTADO MUITO é que estamos tomando café da manhã juntos todos os dias. Aliás, praticamente todas as refeições estão sendo feitas à mesa, com todos nós e a Laura em volta. Isso MUITO me agrada e me faz feliz.

Mas todos temos que nos refugiarmos em algum canto, recanto, enfim, um local para recarregar as baterias. Não é segredo para os amigos próximos que eu sempre que posso visito minha aliit no interior. Eu gosto da cidade pacata, com sua característica provinciana, porém já com a modernidade ‘englobando’ partes dela.

Quem é autônomo dificilmente consegue férias. Porque se você não trabalha, não ganha. Então férias são bem planejadas para suprir o período sem trabalho. A vantagem do meu trabalho é que, havendo um PC compatível com os programas que uso e conexão com a Internet eu posso trabalhar em qualquer lugar. E aqui na casa do Buir, é assim.

Então, eu entrei de férias hoje. Estou aqui, cercada pelos cães e a gatinha, as meninas preparando o jantar na sala e vendo novela, Buir já foi trabalhar. Porém, ainda tenho que concluir um trabalho que acabou se estendendo um pouco além do planejado.

Mesmo tendo que trabalhar, é férias. Estou em outra cidade, com mais amigos queridos. E há muitos planos (elas costumam fazer planos quando eu venho pra cá e geralmente temos uma agenda cheia de atividades, mesmo aqui em casa!) para depois que eu entregar meu trabalho. Inclusive uma viagem para o ‘interior’ (e eu que já acho que aqui é interior).

Soube que vamos para um sítio numa cidade próxima. O local tem eletricidade (me falaram para me ‘acalmar’, mas se não tivesse, não me importaria), mas a casa vive do que a horta produz. Há um pomar, porcos e muita coisa legal para se ver.

Há muito tempo, venho esperando por uma oportunidade de ter um contato mais ‘próximo’ com a natureza. E um lugar desses é perfeito e adequado. Eu ‘devo’ satisfações a algumas entidades (porque EU sinto que devo, não fui cobrada) e preciso fazer as pazes comigo mesma. Estou muito contente que teremos esta oportunidade. Criatura urbanóide como sou, a última vez que estive num local assim era criança, lembro de ter tomado leite num copo que foi tirado ‘direto’ das mamas de uma vaca. Quentinho, forte… E só. Claro que tive contat com animais de fazenda, já andei a cavalo, coisa que muito me agrada. A liberdade de estar sobre um animal que corre ‘com o vento’, é indescritível em palavras. Senti como se voasse. Nunca vou esquecer essa experiência.

Aonde vamos, não há cavalos. Mas não tem problema. Estou muito ansiosa e animada com a experiência que vou vivenciar. É algo totalmente novo e agora com todo o conhecimento e experiência que tenho acerca da importância da Natureza e tudo que ela significa sem dúvida, acredito que será ÍMPAR.

Não creio que haja Internet por lá e sinceramente, não me importo. Como me informaram antes, trouxe toda a saga do Percy Jackson para ler, além da Lenda de Sigurd e Gudrun e mais um bordado para terminar. Parece que há televisão lá, mas eu nunca fui muito fã de televisão então, provavelmente aproveitarei para por boa parte da leitura em dia nesses momentos, eu imagino. Mas nada está planejado e isso é fascinante. Ir para um lugar, onde não sei exatamente como vai ser, totalmente estranho mas perto da natureza, onde o relógio não norteia muita coisa a não ser refeições e o horário da novela (acontece, ué) me parece muito atraente.

Estou muito feliz por essa oportunidade e agradeço de coração aos Deuses por ela. É um presente entanto. Muito obrigada.

Mas até lá, tem alguns dias e vamos ‘nos falando’.

2 Comentários

  1. Patthy said,

    4 de janeiro de 2011 às 4:55 pm

    Boas férias Mary. Diferente de vc eu gosto de TV. Não vivo sem. Aliás se há 2 coisas q não sei viver sem é sem algo p/ ler e sem TV. Internet, até q sinto falta mas não me aperto se ficar sem, busco outros meios de me comunicar ou fico na minha. Aproveita bem. Bjs

  2. sindro said,

    1 de março de 2011 às 1:48 pm

    Oi Adorei o blog, visite o meu blog de textos, obrigado, te espero lá.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: