Droga, Jim. Eu sou humano e não vulcano!

Esta semana foi mais tranquila do que as anteriores, embora meus picos de ansiedade tenham oscilado mais.

Muitas coisas ‘rolando’ em segundo plano, idéias para serem concretizadas, planos para o futuro muito distante, planos para o futuro próximo… E no final eu queria que tudo se resolvesse pra ontem… Óbvio.

Nessas horas eu preferia não ter sentimentos ou poder desligá-los. Pra ajudar a manter o foco nas coisas que eu preciso fazer em vez de ficar brigando comigo pra ‘pousar’ e prestar atenção no que tenho que fazer.

É óbvio que o mais divertido é ficar pandilhando por aí, gastando horas na Internet e lendo meus e-mails.

Mas o trabalho, além de engrandecer ‘o homem’, põe dinheiro na conta pra pagar mais contas… E eventualmente, agraciarmos a nós mesmos com algum mimo, afinal, trabalhamos também para isso.

Tem dias que acho maravilhoso sentir e sentir intensamente, que é o meu caso. Eu sou daquelas pessoas que sente tudo MUITO intensamente. É excelente para coisas alegres e boas. Péssimo para coisas tristes e ruins. Ainda bem que faço terapia e posso jogar as frustrações nas mãos de alguém que depois me devolve pra eu mesma resolver.

Aliás, é isso que envolve a terapia. Você vai lá, conversa com alguém que ouve você, eventualmente faz perguntas para entender a forma como você pensa e te devolve o que você disse de uma maneira que você possa entender e ver coisas que não tinha visto antes, podendo assim resolver a questão. Mas essencialmente, tudo depende da gente mesmo. O psicologo, terapeuta, não importa, não vai resolver as coisas pra mim. Essa pessoa é uma facilitadora para que eu tente me entender e resolver meus problemas. E às vezes, até dizer pra mim coisas que eu já sei mas preciso ouvir dos outros.

Nós humanos somos realmente engraçados nesse sentido. Sabemos as coisas e o que temos que fazer, mas precisamos ouvir dos outros às vezes.

Às vezes eu preferia ficar dentro da minha concha… Não, não sou uma pérola (numa linguagem bem popular, pérola é cocô da concha… *risos*), na verdade é parte da insegurança que eu sinto e me faz querer isso.

Ainda bem que de uns bons tempos para cá, tenho vencido essa vontade e encarado o que preciso.
Mas nem sempre é fácil. Aliás, nem sempre não. NÃO é fácil.

Lidar com expectativas, sejam elas as minhas (e que são as mais exigentes, eu mereço!) ou dos demais gera mais sentimentos, mais idéias e mais minhocas. Preferia menos minhocas.

Chega, hora de trabalhar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: