Tolerância

É complicado compreender o que é muito diferente de nós mesmos.
Mas às vezes, não é questão de compreender ou aceitar. Respeitar é a palavra certa. Ou a atitude certa.
Acertamos e erramos todos os dias. E existem dias em que voltamos para casa com a sensação de que nada de útil foi feito.
É porque às vezes não fazemos. Existe o dia de fazer, o dia de aprender.
E todo aprendizado pode ser difícil e doloroso.
Ser alguém melhor não é fácil e escolher trilhar esse caminho traz muitos obstáculos, dificuldades e tombos.
Mas cada um desses “impedimentos”, são pausas. Se caímos, temos que respirar e levantar. Se há um obstáculo, é necessário analisar para ultrapassar. Até mesmo para deixar “a vida nos levar”, é preciso saber controlar o leme, pra não perder o controle..

Nem sempre a ajuda solicitada é um pedido de ajuda em si, mas pode ser um pedido para que você colabore para que tudo se adeque aos planos de quem lhe pediu ajuda. E quem pediu, pode estar mesmo certo de que é o melhor…
Ninguém faz planos para que sua vida desmorone. São sempre para melhor. Mas nem sempre o seu melhor é o melhor do outro.
Acima de tudo, nem tudo o que pensamos pode ser dito. Existem lições que cada um de nós precisa aprender sozinho e, se tiver que ser com um tombo… Será. Não seria meu primeiro, tampouco o último.

Ser diferente não faz ninguém melhor que ninguém, nem pior.
Ser, é simplesmente Ser. Cada pessoa é de um jeito, cada flor e cada criatura. Mesmo que pareçam idênticas, não são. Cada uma delas tem sua característica, que a faz especial ou que faz com que ela colabore no seu papel pra manter as engrenagens rodando. E se são opostas então, parecem que não há como fazer com que trabalhem juntas.
Mas sempre há uma maneira. Pode não estar clara, nítida, mas para tudo há uma solução. Se não a vemos, é porque não a encontramos, mas ela existe.

Não cabe a nós entrarmos no mérito do “papel” do outro. Cuide do seu e ajudará o outro a cuidar do dele.

Cada um deve seguir seu caminho e fazer o melhor pra engrenagem funcionar. Como na história do beija flor tentando apagar o incêncio levando água no seu pequeno bico.
É o que ele pode fazer. Então ele faz, mesmo que seja pequeno.
Nem toda ajuda vem de grandes feitos, notáveis e claramente visíveis.
E toda criatura, por menor que seja, tem sua importância. Não podemos menosprezá-la.

Respeito e humildade, são pilares básicos para qualquer caminho.

Anúncios

E ela foi… entre outras coisas

Bom, ela foi pra escola.
Um passinho pequeno, fisicamente, mas enorme pra vida dela…

É o ínicio dela saindo debaixo das nossas ‘asinhas’.
Mal dormi esta noite.

Quis o destino, os Deuses ou whomever que eu não tivesse meus próprios filhos.

Mas os caminhos da vida me trouxeram a Laura e meus demais herdeiros, isso sem contar nos meus filhotes de 4 patinhas.

Bom, sobre o primeiro dia da Civetta, vocês podem ler no blog dela, AQUI.

========================================

Civetta. Whadaf***?
Na verdade, a pergunta é “Ma che???”
Civetta, é um adjetivo italiano que se aplica a pessoas muito ativas, inquietas, que não sossegam um minuto sequer.
Entendeu porque a minha afilhada é Civetta?
Pronuncia-se tchi-vê-ta
E o que faz a “dona” Civetta? Fica civettando! 😛
Mas conheço vários outros Civetti por ai! 😛

========================================

E que saibam todos!
Quando eu morrer, meus órgãos devem ser doados. Todos que puderem ser doados, que assim sejam.
E como mencionei lá em cima, não tenho filhos, mas tenho meus herdeiros. No momento adequado, vocês saberão!
*risada maligna*

Todos atualmente são menores de idade e mencionar seus nomes pode atiçar a cobiça de seus pais/responsáveis.
Afinal, eu tenho uma riqueza enooooooooooorme. MUITA COISA.
De saúde e bom humor… TURUMMM- TSSSSS!
Ou como diria minha mãe: “toda essa tranqueirada de tauó e nem sei mais o quê…”
Já dizia o Tutubarão: “Mas que falta de respeito… wuuu wuuu wuuu… Iac iac iac”

========================================

Mas quem vai ficar com as minhas coisas, será que vai cuidar direito?
Alguém por favor, funde um Museu de Star Wars no Brasil ou algo assim?
Meus itens mais queridos poderão acabar no lixo. Que lástima! 😛
Pensem só. Minha X-Wing edição limitada:

Meu set “Mandalorian Legacy” autografado pelo Jeremy Bulloch:

Meus sabres de luz, CASO NENHUM DOS MEUS HERDEIROS QUEIRA, deve ser doado ao Blades (se o grupo existir). Senão, enterrem comigo.

Os meus livros. Puxa. Será que alguém vai querer?

Minhas roupas, se nenhuma das minhas herdeiras quiser algo, doem todas.
Que os jogos do video-game sejam divididos em partes iguais entre eles e em caso de quererem o mesmo item, que seja feito sorteio. Meu advogado (ou advogada, pq não sei quem será até lá) deverá ser o mediador.

Papo funebre?
Deixando a brincadeira de lado, fica aqui um alerta: se os nossos pais deixassem tudo especificado em testamento ou já “no nosso” nome, mas com usufruto de nossas mães, os inventários seriam resolvidos mais rapidamente e ninguém ficaria encrencado com dinheiro preso em conta bancária, precisando pagar contas que estão vencendo.

A burocracia neste país é uma merda, por um lado.
Ter conta corrente conjunta NÃO ADIANTA. A menos que o cônjuge que sobreviveu seja o titular.
Caso contrário, tudo fica travado até o final do inventário.
É froids.

========================================

Quero ser enterrada com minha armadura mandaloriana. Na verdade, eu gostaria de ser cremada.
Então, prefiro mesmo estar com ela, porque assim derrete o plástico e não afeta o meio ambiente.
Nerd também é ecológico, oras pipocas.

========================================

Meu time faz 100 anos. E eu tô 100 um puto.
Pelo menos sou coerente vá? 😛

========================================

Fazer o quê, “maloqueiro e sofredor, graças a Deus e a São Jorge”, né? 🙂
Bom, no meu caso, graças ao meu primo, que virou corinthiano graças ao meu tio.
E eu fiz bem minha parte, tornando um dos meus sobrinhos Corinthiano. O outro, ficou por conta do Cunhado, que subiu mais ainda no meu conceito naquele dia! Salve Jorge (o santo, não o Seu Lobo).

========================================

Assisti AVATAR.
Formidável, espetacular, fora-de-série.
Chorei do começo ao fim. Mensagem escancarada “já batida”.
Mas mensagem sutil muito bem sacada. Algumas pessoas, como eu, mereciam esse tapa na cara.
Obrigada, Cameron. Você não sabe, mas salvou minha vida.
Agora, pode ir falando onde é que eu consigo um daqueles aparelhos e um avatar pra ir pra Pandora.
Anda, que não tenho o dia todo!

========================================

O Blades Saber Team, grupo que executa coreografias com sabres de luz voltou a treinar no último final de semana. A data do treino não foi divulgada com antecedência para evitar que os fãs tumultuassem o local. O parque é grande, mas todos sabem onde o grupo treina. Tentamos entrar em contato com a assessoria do grupo, mas ninguém respondeu.
(Provavelmente porque o grupo não tem assessoria, nos divertimos pra caramba e não é nada do jeito que eu escrevi acima)
Quer apostar quanto que vai ter gente deturpando o que eu disse? 😀

Ah, vá… Não existe maldade na mente das pessoas… Tolinha, eu!

========================================

Esta é séria. Tem uma epidemia de virose, um tal de NOROVIRUS.
É vírus novo, mas os sintomas e cuidados são os mesmos de sempre…
Pegou praticamente todo mundo aqui em casa. Nem a babá escapou. Só eu.
(Seriam mandalorianos imunes ao Norovirus? Ou foram os MidhClorians da Rysa-Mara?)

========================================

O 501st entrou em período eleitoral. Enquanto o Vode An já elegeu seu novo “Alor’ad” (capitão).
Saudações para Michel Vega (Veghor Traviss), novo Alor’ad do Vode An.
E boa sorte ao Wesley Marreiros, candidato a Comandante da Base Brasileira.
O Rebel Legion? Vai muito bem, obrigada, acabou de passar pelo censo anual e seu comandante está na expectativa da chegada de sua padawan Stella. São 35 semanas de gestação agora, se não me engano.
Haja ansiedade!

E ficamos por aqui. ZYD 00900, Base Fett, São Paulo.
Over and Out!

%d blogueiros gostam disto: