O dia do MEU pai

Amanhecer em Cananéia (03.08.2005, by Samara)

Por uma série de fatores que não vêm ao caso, a partir de hoje, esta data será celebrada por mim como o dia do MEU pai.

O dia dos pais foi criado em teoria pra homenagearmos os pais e capitalisticamente falando, gerar receita pras lojas.🙂

Hoje faz quatro anos que meu pai marchou para continuar sua jornada no plano espiritual.
Diferente dos outros anos, estou muito tranquila. E devo admitir que isso veio graças a um grande amigo muito querido que me enviou palavras acalentadoras e muito adequadas há alguns dias atrás.

Quando alguém marcha para o outro plano é muito doloroso para nós que ficamos. A saudade parece massacrar o peito e faz o coração sangrar como se fosse esmagado. Faz parte de todo o processo e é chamado de “Elaboração de luto”. Alguns demoram mais que os outros, mas este tempo precisa existir. Alguns não se dão esse período e ele acaba explodindo posteriormente, em algum outro momento que talvez não fosse tão oportuno. Ou não… Quem entende a natureza humana e suas minucias?

Enfim, voltando ao tópico do post e relembrando toda minha espiritualidade e mais a espiritualidade mandaloriana, hoje então é dia de brindar em honra a um guerreiro muito valoroso, que batalhou duro sempre para cuidar de sua “aliit”* e me ensinou muitos dos preceitos que regem minha postura e minhas decisões.


Ah sim, além de me ensinar a andar de bicicleta, a fazer uma pipa, a jogar bola, a tocar violão… São muitas coisas importantes da minha infância/adolescência que me fazem ter orgulho dele.
Mas uma das coisas mais importantes que ele me deu de presente juntamente com minha mãe é a minha irmã.

Sim, essa mulher bonita aí da foto acima. Já casada, lamento rapazes. Somos muito diferentes mesmo, acho que no máximo, alguma coisa da aparência e olhe lá. Porque em termos de personalidades, somos dois opostos.

Então… Hoje é dia do MEU PAI. Alguém que como todo ser humano, cometeu erros, teve acertos, mas acima de tudo, nunca deixou faltar nada para nossa família. E a partir desde ano, neste dia, você será sempre homenageado, meu pai, meu ancestral. Porque honrar a memória dos ancestrais é honrar a si mesmo e suas origens.

(A última imagem dele nesta existência que guardo com carinho em minha memória)

Obrigada por tudo e até um dia!

*aliit = família, no idioma mandaloriano (Mando’a)

5 Comentários

  1. TatiMenegha said,

    28 de setembro de 2009 às 9:19 pm

    Sabe… ele parece com vc..
    ou melhor, vc parece com ele…
    não sei como dizer… pelo menos nessa foto, achei bastante parecidos… (vc e ele)

    emocionante seu blog…

    bjs!

    Tati

  2. Teca said,

    28 de setembro de 2009 às 9:23 pm

    É difícil, na maioria das vezes, porque a saudade dói muito, mas a gente precisa é comemorar a passagem pro outro plano e sim, honrar cada vez mais quem tanto fez pela gente.

    Tudo isso é muito bonito!

  3. Samara said,

    28 de setembro de 2009 às 9:28 pm

    Lindo!

  4. Mary said,

    28 de setembro de 2009 às 9:34 pm

    Ele merece né?🙂
    Chega de chorar, agora é hora de honrar!

  5. Tadini said,

    28 de setembro de 2009 às 9:35 pm

    Que texto bonito.
    Aliás, de muita commpreensão. Ter esta religiosidade, tão diferente de religião é provilégio de poucos.
    Obrigado pelo seu comentário no blog. Enriquece a gente.
    Beijão


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: